28
Abr

Para o alto e avante! Uma triste vida linear...

Uma das grandes falácias da vida humana...

No estudo da Lógica, falácia é (trocando em miúdos) uma coisa que parece verdade mas, no fundo, não é.

Aprendemos, desde pequenos, uma verdade sobre o sucesso.

Uma vida bem-sucedida é aquela que se apresenta retilínea e progressiva, ou seja, sempre subindo, sempre crescendo. Melhor ainda se for em progressão geométrica. Bem sucedido mesmo é aquele que consegue subir a escada da vida aos saltos, de três em três degraus. Parar nunca! Retroceder jamais!

Os exemplos diários e banais de quanto este paradigma que direciona, sem que a gente perceba, nossos valores e escolhas existem aos montes.


- A vida escolar é toda estruturada de forma a fazer com que o aprendiz esteja sempre de olho no próximo passo, no próximo ano. Atualmente, quem termina a faculdade já começa a se cobrar a respeito da pós-graduação antes mesmo do canudo! (não posso parar!)

- Se seu carro já tem dois anos é natural que você já comece a se preocupar em trocá-lo por um zero, de novo. De preferência melhor. Mesmo que no fundo você não queira nem precise.

- Se você tem um emprego ruim, mas ganha bem, não tem problema nenhum. Mudar de emprego, só se for para um salário melhor. Ser mais feliz ganhando menos nem pensar!

- Parar de trabalhar para ter um filho. Não posso! Quando eu voltar o mercado não vai me absorver mais...

- Uma pessoa que fez uma faculdade e trabalhou alguns anos numa área mas se arrependeu, não se encontrou, descobriu mais tarde o que realmente queria. Como ela será vista numa entrevista de emprego? Aquela pessoa que não sabe o que quer?


Nas entrelinhas está presente a premissa de que “dar um passo para trás, ou para o lado, se arrepender ou parar é um pecado, praticamente um crime”. Como vou me olhar no espelho? Como vou ser visto pelos outros?

Frustração é o que sentimos quando a gente se depara com a vida como ela é de fato. Com altos e baixos, momentos e fartura e momentos de escassez, tempo plantar e tempo de colher...ou seja, a vida é circular! A vida humana (assim como tudo na natureza) pulsa, circula, expande e contrai.
 

Visto isso, podemos pensar que este modelo de vida estilo “SuperMan” que perseguimos só é possível nas histórias em quadrinhos. Na vida real ela é um constante combate entre altas expectativas e os limites da dura realidade. E nesta equação o resultado mais comum é: descontentamento com o que sou/tenho hoje, somado a altas esperanças de que o futuro seja exatamente da forma que eu sonho.

Neste quesito, algumas culturas orientais nos dão verdadeiras lições de contentamento, sentimento vital para que o sujeito possa realmente se sentir "feliz". São atitudes como:

-Acolher e aceitar a forma circular que a vida se apresenta.

- Investir mais energia em sentir o sabor da vida hoje do que em construir altas expectativas de um futuro ideal, feliz e maravilhoso. O presente é o único tempo que temos para viver com plenitude.

- Realizar, de bom grado, os movimentos que a vida convida como nos recolher no tempo do descanso, lutar com garra no tempo de ir à luta, dar um passo para trás quando a vida pede humildade, dar três passos pra frente quando os caminhos estão abertos...

Esta é a dança da existência! Ela é fluída, com muito gosto e pouco atrito.

A conclusão que eu chego com tudo isso? Que a vida cíclica dos seres humanos "comuns" é muito mais divertida e emocionante que a vida previsível dos super-heróis! :)