13
Mai

A descoberta do Dom

Na Grécia antiga, que se orientava pelas figuras de sua rica mitologia, havia uma figura conhecida como "O grande Professor", e também como "o Curador ferido". Era o centauro Quíron, que morava em uma caverna que tornou-se, segundo a lenda, o local para onde os homens nobres e ricos da época mandavam seus filhos, ainda meninos para serem educados. 

Quíron, que era o fruto de um dos muitos casos extra-conjugais de Cronos, o grande Senhor do Tempo, com uma mortal, cresceu sendo educado e formado pelos grandes Deuses e sábios de sua época. Com Marte conheceu a arte da Guerra, com Apolo o conhecimento, com Asclépio a medicina e assim por diante. Era um grande Professor porque trazia dentro de si quase que todo o conhecimento existente, mas também porque desenvolvera um lindo método de ensino para os meninos que eram entregues sob seus cuidados para se tornarem grandes homens.

Seu método tinha como primeiro passo "A descoberta do Dom". Nada menos do que isso.
Para que aquela alma nasceu? Com que função? O que este ser traz em si que pode construir seu caminho e fazer diferença para a humanidade?
Era este seu primeiro trabalho. Conduzir o aprendiz num processo de autoconhecimento tal que permitisse a ele, antes de mais nada, conhecer-se por dentro.

E qual era o último passo do método? Aprender a técnica e os conhecimentos disponíveis sobre o assunto. Interessante né? Aquele que identificava seus dons relacionados com a atuação militar passava por vários processos pessoais, psíquicos, íntimos, só depois...muito depois....por último, se colocava no aprendizado da técnica, no estudo propriamente dito. Depois de longos anos estudando a si mesmo.

Platão, Plotino, Will Schutz, James Hillman são alguns dos pensadores que defendem a idéia de que a gente já chega no mundo carregando alguns atributos, potencialidades e registros daquilo que "escolhemos"  antes de nascer, em algum nível. Ou seja, a alma carrega em si atributos que serão importantes na nossa caminhada na vida. O problema é que nós não temos consciência deste dons. No Mito de Er de Platão passamos por um processo de esquecimento antes do nascimento. Mas o dom está lá, pulsando dentro de nós.

Então, como fazer para descobrir os meus dons?

Diante de tudo o que já estudei e experimentei deste assunto, coloco algumas possibilidades e situações que podem ser reveladoras do Dons.

- Sabe aquela atividade ou situação que, quando você está nela, tem a sensação de que o tempo parou? De que você já fazia aquilo desde que nasceu? De que aquele papel que você exerceu você exerce há milênios? Uma sensação de que a alma está alimentada?
Tenho uma cliente que diz que quando ela se vê ajudando alguém que está em dificuldades ela é tomada por uma alegria tão grande, uma coisa tão boa acontece dentro dela que se ela pudesse faria aquilo o dia inteiro, o tempo todo! Tenho um outro cliente que aprendeu os segredos do Calendário Maia e que me conta que toda vez que senta com alguém para falar sobre o que o calendário revela sobre ela, ele sente que aquilo sai de forma tão natural, tão prazeirosa, que ele se sente tão íntimo daquele conhecimento...

- Li uma vez que "Deus escreve as leis de nossa caminhada no nosso corpo e na nossa alma", ou seja, toda vez que algo te fizer arrepiar a espinha, sentir aquele friozinho na barriga, seu corpo entrar num nível de energia e disposição além do normal...aí estão indícios do Dom.
Desde 1998 eu dou Palestras. Já palestrei para diversos tipos de públicos, de pequenos grupos até eventos com mais de mil pessoas de uma só vez. Me convidam muito para dar palestras, desde sempre. Me pergunte se eu algum dia da minha vida sonhei em ser palestrante.....Nunca! Nem me passava pela cabeça. Mas toda vez que eu me vejo neste papel, que pego um microfone na mão e subo no palco, meu corpo e meu coração me dizem que é exatamente ali que eu tinha que estar. Entro num estado de inteireza, me sinto tão alimentada com aquela experiência que saio dali em verdadeiro êxtase! Não consigo fugir desta atividade. Minha alma não me deixa.

- As coisas que fazemos por toda a vida e quem sempre nos damos conta também nos indicam algo sobre os dons. A vida está sempre nos chamando para fazer aquilo que trazemos dentro de nós. Certa vez, em análise, me dei conta de que desde criança eu era o "muro das lamentações/confessionário/pronto socorro emocional" de muita gente em minha volta. Amiguinhas de escola, colegas de ballet, pessoas da família, desconhecidos que sentavam ao meu lado no ônibus....não foi por acaso que escolhi a Psicologia e que hoje sigo fazendo exatamente a mesma coisa que faço desde criança. Atender pessoas em conflito, em crise, com dificuldades ou aspirações diferentes na vida.

Sabe qual o significado da palavra VOCAÇÃO? É chamado. Uma voz que te chama para a ação. É quando a vida te chama e desperta dentro de você os Dons que você carrega desde sempre e que se encaixam muito bem no convite que ela faz...

"É isso que chamam de vocação, o que a gente faz com alegria como se tivesse fogo no coração e o diabo no corpo?" Josephine Baker


Para os que quiserem se aprofundar recomendo o excelente livro "O código do Ser: uma busca do caráter e da vocação pessoal" de James Hillman (discípulo de CGJung)